Penúltimo dia do Festival, domingueira depois da Zombie Walk. Noite de gala. A organização montou o “line up” do dia com muito esmero.

Spitfire Demons de São Paulo estreando no Psycho Carnival. A banda tem alguns meses de estrada, mas não é novata na cena musical Psycho. Alex from Hell (guitarra), Maniac Biffs (baixo) e Alan Rat Skates (bateria) já vem de outras bandas e tem muita história de responsa nas costas. Alex era do Kães Vadius, já Maniac e Alan Rat integravam o The Krents, um dos grupos mais antigos e respeitados do estilo no Brasil.

Psychopath Billy entrou no palco com vontade de botar fogo no público. Slap Cat “Mizinga” (baixo e backing vocal), Ruderocker (guitarra e vocal) e GG “El Gallo Gutierrez” (bateria) estrearam no Festival com muito bom humor e músicas envolventes que não deixaram ninguém parado. Para Ruderocker, “o Psycho Carnival é o festival mais importante desse gênero musical na América do Sul e recebe a atenção do movimento Psychobilly de todo o mundo. Na Colômbia, participar desse festival é a meta de todas as grandes bandas de Psychobilly”.

Os mascarados de Guarapuava, Kingargoollas, fizeram um show de arrebentar as orelhas da zumbizada. Som instrumental de ferver os ânimos com direito a solo de baixo e batera no meio da plateia. Desde 2006 os guarapuavanos tem cadeira cativa em qualquer festival de psycho.

Os californianos do Cursed Bastards também fizeram sua estréia no Psycho Carnival em grande estilo. Com uma linha mais agressiva do Psychobilly, o trio formado em 2013 por Eddie YoungBlood (baixo e vocal), Dave Ratz (guitarra e backing vocal) e Anthony Puke (bateria) resolveram não dar folga para os presentes e chacoalharam o salão do Jokers.

Os londrinenses do The Brown Vampire Catz, marcaram o palco do Psycho Carnival com acordes simples e solos bem elaborados. Essa característica da “clean reverb guitar”, é forte na maioria das bandas psychobillies e o TBVC não deixa por menos. Os sucessos “She’s A Vampire”, “Waiting For Blood”, “Final Choice”, “Night Killer” e “Beware Of The Monster” sacudiram a plateia e preparou o esquenta para a grande atração da noite.

Os Catalépticos tem status de banda internacional. São os grandes responsáveis por colocar Curitiba no mapa do Psychobilly. Com seu estilo “power psychobilly" um som mais agressivo, distorcido e rápido do que fazem as outras bandas do gênero. Uma catarse sonora que para àqueles que estiveram presentes já valeu ter vindo no Festival de 2018.

Hoje é a última chance.

Os shows são pontuais e começam as 21h.

Chegue antes para visitar a feira que acontece no andar superior.

Não esqueça da capa e guarda-chuva, vais precisar na saída.

Tem um vallet na porta para quem for de carro, mas prepare o bolso..

 

Serviço:

Segunda. 12/Fev . Jokers Pub :

HILLBILLY RAWHIDE (Cwb)

THE MULLET MONSTER MAFIA (Piracicaba)

WILD ROOSTER (Suécia)

TAMPA DO CAIXÃO (Joinville)

LUISONZ (Paraguai)

VOODOO BROTHERS (Sp)

Comments

comments