O dia começou nublado e prometendo pancadas de chuva. Uma leve brisa gelada abaixo do tempo timidamente ensolarado anunciava que o inverno desse ano será intenso. Mas nada disso se confirmou… os primeiros acordes de O Fortuna da obra Carmina Burana de Karl Orff indicavam que o show seria quente, alto e arrebatador.

Com tanto tempo de estrada e uma carreira impecável de sucesso, o que se podia esperar deste show de Ozzy? Mais um show protocolar ou uma nova reinvenção de Ozzy, característica marcante do Príncipe das Trevas. 

No setlist, alguns dos seus maiores clássicos e três músicas do Black Sabbath, Fairies Wear Boots, War Pigs e Paranoid.

Depois de apresentar ao mundo guitarristas geniais como Jake E. Lee, Randy Rhoads e Zakk Wylde, ele trouxe novamente para turnê o capo do Black Label Society, que deu um tempo na sua banda para fazer com Ozzy, essa No More Tours 2.

O eletrizante riff de “Bark at the Moon” anunciou o início do show e desde a primeira nota até a despedida com “Paranoid” foi possível constatar novamente a presença e influência quase que messiânica que Ozzy tem com seu público. Chegando aos 70 anos, Ozzy Osbourne não deixou de esbanjar carisma e simpatia dando a nítida sensação que ele curte cada segundo do seu show, tanto quanto o público.

Os gritos “Hey” de Ozzy, no solo de “Mr. Crowley”, os pulos, as palmas, os “I can’t fucking hear you” e “Let’s get crazy” são itens indispensáveis em um show de Ozzy.

Um dos pontos altos do show foi no clássico “No More Tears”. Um Ozzy teatral toma conta do palco que com um olhar louco e transtornado encara fixamente o público. Ozzy corre de um lado para o outro, pede palmas e rege a Pedreira.

A famosa “Crazy Train” encerrou o show e deixou em todos a impressão de um dos melhores shows do ano.

Após uma curta pausa, afinal é um senhorzinho de 70 anos, Ozzy e banda voltaram para uma linda execução de “Mama, I’m Coming Home” que além dos tradicionais celulares iluminando o público, contou com luzes coloridas tomando conta de toda Pedreira Paulo Leminski, criando um visual incrível.

Como é tradição, Ozzy se despediu com a terceiro e última música do Black Sabbath no show, “Paranoid”, uma celebração do heavy metal que deixou todos em êxtase sonoro.

Talvez a “No More Tours 2” de fato marque o fim das tours mundiais de Ozzy Osbourne. Ou talvez a intenção seja de nos deixar na dúvida e sempre torcendo por uma nova loucura do Príncipe das Trevas, por uma nova reinvenção.

O fato é que com carisma e simpatia, Ozzy se despediu para sempre de Curitiba.

Para sempre, até a próxima reinvenção.

 

Confira o setlist do show

 

Bark at the Moon

Mr. Crowley

I Don’t Know

Fairies Wear Boots (Black Sabbath)

Suicide Solution

No More Tears

Road to Nowhere

War Pigs (Black Sabbath)

Miracle Man / Crazy Babies / Desire / Perry Mason (Solo de Zakk Wylde)

Solo de Bateria

Flying High Again

Shot in the Dark

I Don’t Want to Change the World

Crazy Train

Mama, I’m Coming Home

Paranoid (Black Sabbath)

Comments

comments