Mudanças eternas por Mariana Bileski

Durante a vida, diversas mudanças acontecem, seja por consequência das nossas decisões ou de forma totalmente involuntária. Emoções, gostos, pessoas a nossa volta, preferências, mudanças geográficas, profissionais, espirituais. São inúmeras as áreas em que tudo pode mudar, da noite pro dia. Da prisão pro palácio, do hemisfério sul ao norte, do solteira ao casada, do hoje pro amanhã. E uma alteração que, na realidade, não para de acontecer é no nosso corpo. Crescemos, engordamos, emagrecemos, – talvez – engravidamos, fortalecemos, aumentamos, diminuímos. Vertical ou horizontalmente, o fato é que o corpo humano está em constante transformação. Mudança esta que ocorre no físico mas que certamente mexe muito no emocional também. A balança e o espelho que o digam!

É importante o reconhecimento de todas essas alterações, sejam elas sutis ou mais aparentes. Após isso, o contentamento com a nova fase. Caso não seja o caso de se alegrar com o novo visual, a reclamação de nada vai adiantar. É necessário fazer algo a respeito – pode ser cuidados médicos, nutricionais ou apenas a iniciativa de se exercitar. Por outro lado, se o novo formato corporal é imutável ou você se sente completamente impotente em relação a ele – no caso da gravidez, por exemplo -, a aceitação, compreensão e, por fim, contentamento com si é imprescindível. A nossa aparência diz muito sobre nós mesmos e o cuidado que temos com ela também. Desistir, como já dito por aqui antes, não deve ser uma opção. E como o nosso corpo se relaciona diretamente com o que colocamos por cima dele – as nossas roupas – é natural que encontremos um equilíbrio e uma ótima alternativa e aliado no armário.           

Independente da fase que você e seu templo – o corpo – vivem, é fundamental que você se perceba, se entenda e se conheça. Diante disso, as roupas vão te servir, não apenas no sentido de tamanho, mas também trabalharão ao seu favor. Em cada fase da gravidez, por exemplo, há dicas de como se sentir confortável e ressaltar a beleza do trimestre. Há técnicas mas, ainda mais importante, há um caminho que cruza e equilibra estilo, silhueta e auto-estima. Estes três fatores são pilares para a construção do amor próprio e de um sorriso frente ao espelho. Este é o objetivo do meu trabalho como consultora e também do motivo que tenho prazer em compartilhar pequenos lembretes por aqui.            

Comments

comments

Deixe um comentário