Viaduto da Victor Ferreira do Amaral, em Curitiba, vai receber vigas gigantes para alargamento

XV CURITIBA
7 Min Read
Nova etapa das obras do Complexo Tarumã. Curitiba, 20/02/2024. Foto: Ricardo Marajó/SMCS

Vigas de concreto de tamanho colossal serão içadas do chão e colocadas sobre o viaduto da Avenida Victor Ferreira do Amaral, no Tarumã, para a nova etapa da obra de alargamento da estrutura feita pela Prefeitura de Curitiba. As vigas têm de 30 a 43 metros e de 85 a 110 toneladas. Por segurança, o transporte e a acomodação das vigas vão exigir mudanças no trânsito da região.

Durante cinco dias, será necessário fazer a interdição total de um trecho da via, entre o Supermercado Mufatto e o Colégio Militar do Paraná, em ambos os sentidos (Centro e Pinhais). O bloqueio está programado para ocorrer de sábado (24/2) até quarta-feira (28/2). A mudança no trânsito também altera temporariamente linhas do transporte coletivo.

Vigas longarinas

A interrupção à passagem dos motoristas é imprescindível para possibilitar o início dos serviços de içamento e lançamento das primeiras 16 vigas longarinas sobre o viaduto. As vigas variam de 30 a 43 metros de comprimento e pesam, em média, 85 a 110 toneladas cada uma.

Com a ajuda de quatro guindastes de grande porte, que serão instalados na via, as estruturas de concreto serão elevadas até a base do viaduto. Nesta etapa, as vigas serão lançadas ao lado direito do viaduto, na proximidade do Colégio Militar e da Superintendência Regional do DNIT no Estado do Paraná.

As vigas longarinas serão dispostas longitudinalmente para dar suporte contínuo ao longo do comprimento do viaduto, que está sendo alargado para receber duas estações-tubo (uma em cada sentido) na parte superior e outras duas na parte inferior.

“As longarinas vão garantir a estabilidade estrutural, permitindo que o viaduto resista às forças externas, como vento e pressão das cargas veiculares”, explica Rodrigo Araújo Rodrigues, secretário municipal de Obras Públicas.

De acordo com Rodrigues, a alteração no trânsito é fundamental para garantir a segurança de motoristas, pedestres e das equipes de trabalho. “São quatro guindastes de grande porte e a movimentação de peça gigantescas que darão estrutura ao novo viaduto. Não pode haver movimento na área de transporte e colocação das peças”, frisa o secretário.

Vigas transversinas

Quando as vigas estiverem posicionadas na base do viaduto, o passo seguinte será a execução das vigas transversinas, transversais às vigas longarinas e espaçadas a cada 10 metros. Os passos seguintes serão a execução da pré-laje e por fim da laje.

Depois de concluído, o viaduto dobrará de tamanho, passando dos atuais 24 metros de largura para 50 metros, assegurando três faixas de trafego de veículos em cada sentido, canaleta exclusiva para o transporte coletivo, espaço para as estações-tubo e calçada.

Mário Padovani, diretor do departamento de Pavimentação da Smop, destaca a complexidade dos trabalhos em execução.

“A força de trabalho equivale a construção de um novo viaduto na cidade. São duas novas estruturas, uma de cada lado, com pouco mais de 12 metros, que estão sendo construídas do zero e serão incorporadas à estrutura existente, resultando em um viaduto totalmente requalificado”, explica Padovani.

As vigas foram construídas, concretadas e pré-tensionadas dentro do canteiro de obras, instalado sob o viaduto.

Paralelamente ao cronograma de içamento e lançamento das primeiras vigas, as equipes seguem na execução das próximas 16 peças que serão posicionadas no lado oposto do viaduto. Além da preparação das ferragens e das formas para a concretagem das próximas vigas, continuam os trabalhos de pavimentação das vias que formarão a alças de aceso do novo viaduto.

Complexo Tarumã

O Complexo Tarumã engloba as obras no Viaduto da Avenida Victor Ferreira do Amaral – que permitirá a instalação das novas estações de ônibus, Tarumã e Victor do Amaral –  a requalificação de 12 ruas do entorno, das praças públicas Cova da Iria e Mauro Ferreira, além de novo paisagismo e iluminação. Novas calçadas planas e acessíveis e ciclovia também integram as melhorias.

Iniciadas em fevereiro do ano passado, as obras são coordenadas pela Secretaria Municipal de Obras Públicas (Smop). A previsão de conclusão das obras é o segundo semestre deste ano.

Alças de Acesso

Boa parte dos 8 km de requalificação das vias que formarão as alças de acesso e que vão dar suporte ao trânsito da região estão concluídas ou com trabalhos avançados.  

Alça Noroeste

As intervenções abrangem as ruas Bandeirantes Dias Cortês, Affonso Penna e Nagib Daher. Nestas vias já foram concluídos os serviços de drenagem, terraplenagem e meio-fio e todas receberam a primeira de duas camadas de asfalto que serão aplicadas. Atualmente os serviços executados são de plantio de grama, iluminação pública e melhorias nas calçadas.

No entroncamento das ruas Nagib Daher, Presidente Epitácio Pessoa e Arcésio Guimarães as equipes trabalham na base da pavimentação e nos serviços de fibra ótica faltam nas travessias.

Na Rua Arcésio Guimaraes foram concluídos os serviço e drenagem, plantio de grama, implantação de passeio e meio fio. Na Rua Presidente Epitácio a parte da drenagem concluída e ainda serão executados os serviços de meio fio, assalto, paisagismo e iluminação pública.

Alça Sudeste

Nas ruas Engº Antônio Batista Ribas e Suécia foram concluídos os serviços de drenagem, terraplenagem, infraestruturas para fibra ótica e semaforização. A pavimentação está em andamento, com preparação da base, além da implantação de meio-fio e iluminação pública.

Alça Sudoeste

Nas ruas Presidente Epitácio Pessoa, Epaminondas Franco e Maria Ficinska estão em andamento serviços de drenagem e iluminação pública.

Share this Article
Posted by XV CURITIBA
Follow:
O Portal XV Curitiba é um dos principais sites de notícias de Curitiba, capital do Paraná. Reconhecido por seu compromisso com a verdade e a integridade jornalística, o portal se dedica a cobrir todas as facetas da vida na cidade.