Conecte-se conosco

Curitibanices

Retorno da Família Folhas promove encontro de gerações e compartilhamento de olhar afetivo sobre meio ambiente

Publicado

em

Foto: Pedro Ribas/SMCS

‘Os Folhas’ estão de volta trazendo lembranças que marcaram época e ajudaram a fazer da cidade exemplo na reciclagem de lixo

Quem era criança nos anos 90 em Curitiba sabe bem o que significou a campanha da Família Folhas para a mudança de mentalidade no que se refere ao processo de reciclagem. Quem mora aqui também sabe como a separação do lixo faz parte da rotina dos habitantes e o incômodo que gera estar em outras cidades e ver lixo orgânico sendo descartado no mesmo recipiente que embalagens plásticas, papeis e metais.

A Família Folhas com seu jingle contagiante “Lixo Que Não É Lixo/Não Vai pro Lixo/SE-PA-RE” alcançou um lugar afetivo que fez emergir em gerações de curitibanos, curitibanas e pessoas que escolheram aqui para viver a consciência sobre separação de lixo e sustentabilidade.

Agora, repaginada, ela voltou para reforçar a importância da reciclagem de lixo e dos programas de sustentabilidade desenvolvidos na cidade e já estampa estações-tubo, parques, busdoors e outros espaços públicos. Os personagens foram reformulados pelo cartunista e escritor Ziraldo, responsável também pelo desenho da campanha original. Além disso, Ziraldo criou novos personagens para a família, pois se passaram 33 anos desde que os primeiros Folhas apareceram.  Seu Folha, Dona Fofô, Fofis e Fifo ganharam a companhia de Flora, Fefo (filhos de Fofis) e do cãozinho Folheco, pet do Fifo.

A diversidade está presente na nova formação, que, segundo Ziraldo, traz aspectos importantes que a sociedade passou a discutir nos últimos anos, como é o caso, por exemplo, da mãe-solo e da inclusão de pessoas com deficiência (PCD).

Ana Cristina Casara, advogada, hoje com 42 anos, lembra-se com carinho da campanha. “Confesso que sempre fui apaixonada pela Família Folhas, pois marcou minha infância”, conta.  Ela se vê animada com o fato de a filha, Marina, 6, poder compartilhar algo que foi da sua infância. Tanto que partiu da advogada a iniciativa de contatar a Prefeitura de Curitiba para que o colégio da filha tivesse a visita da Família.

Fernanda Athanasio Fabro Dias, 36, engenheira, mãe de Alice, 6, e de Mateus, 3, diz ter o mesmo sentimento de Ana Cristina e ressalta que o tema também foi muito marcante na sua infância.

Na casa da família Pamplona Cavalli, o assunto já é um sucesso. É o que assegura a dentista Carolina Pamplona Cavalli, 40, mãe de Eduardo (8) e Murilo (6).

Elas aguardam ansiosamente o momento de os filhos terem essa experiência com a Família Folhas e torcem para que o traço afetivo gerado pela campanha nos anos 90 chegue também aos corações dos seus curitibinhas.

Visitas a escolas

As visitas da Família Folhas às escolas de Curitiba tiveram início no dia 25 de abril e abrangem no primeiro momento a rede municipal de ensino. Por meio do teatro, os personagens abordam, de acordo com informações divulgadas pela Prefeitura, temas como reciclagem, cuidado com os animais, colaboração, entre outros.

Janaína de Castro, com informações da Prefeitura de Curitiba

Publicidade