Conecte-se conosco

Paraná

PGR pede arquivamento de investigação contra Ricardo Barros baseada em CPI

Publicado

em

Por entender que não há indícios mínimos de que o parlamentar tenha atuado em benefício de pretensões privadas, a Procuradoria-Geral da República pediu ao Supremo Tribunal Federal o arquivamento da investigação contra o deputado federal Ricardo Barros (PP-PR) por suspeita de advocacia administrativa.

O crime de advocacia administrativa consiste em "patrocinar, direta ou indiretamente, interesse privado perante a Administração Pública, valendo-se da qualidade de funcionário".

O procedimento foi instaurado em novembro do último ano, com base no relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19.

A vice-procuradora-geral da República, Lindôra Maria Araujo, considerou que não havia "nenhum elemento indiciário" de que o líder do governo Bolsonaro na Câmara tenha atuado em prol de empresas farmacêuticas.