fbpx Live global reunirá Jane Fonda, Wagner Moura, Morgan Freeman, Maria Gadu, Peter Gabriel e Carlos Nobre em prol dos povos da Amazônia nesta quinta | XV Curitiba
Conecte-se conosco

Stereo Pop

Live global reunirá Jane Fonda, Wagner Moura, Morgan Freeman, Maria Gadu, Peter Gabriel e Carlos Nobre em prol dos povos da Amazônia nesta quinta

Publicado

em

Cred Foto- Vinicius Mendonça-Ibama

Hoje (28), Jane Fonda, Morgan Freeman, Carlos Santana, Peter Gabriel e vários outros artistas se unirão a líderes indígenas, cientistas e uma ampla coalização de ONGs no Artists United for Amazonía: Protecting the Protectors, um evento global de duas horas, das 21:00 às 23:00 pelo horário de Brasília, com transmissão ao vivo via Facebook e artistsforamazonia.org

Produzido por Artists for Amazonia, o evento será apresentado pela ativista, atriz e co-estrela de "Game of Thrones" Oona Chaplin e promoverá o Fundo de Emergência da Amazônia, lançado no mês passado por uma coalizão de organizações indígenas, ONGs e aliados para responder às necessidades urgentes de povos indígenas da Amazônia ameaçados pela COVID-19. Os recursos arrecadados serão utilizados para prevenção e atendimento imediatos; alimentos e suprimentos médicos; comunicações de emergência e evacuação; proteção e segurança para territórios indígenas; e soberania alimentar e resiliência da comunidade. O Fundo de Emergência da Amazônia pretende arrecadar US$ 5 milhões nos próximos 60 dias para que os Guardiões da Floresta se protejam contra a pandemia nos nove países da Amazônia.

Artists United for Amazonia terá uma mistura inspiradora de apresentações musicais na sala de estar, entrevistas informativas, sabedoria indígena e apelos à ação. Além de Jane Fonda, Carlos Santana, Morgan Freeman Peter Gabriel, o evento terá participação dos cientistas Thomas Lovejoy e Carlos Nobre (que têm alertado sobre o ponto a partir do qual a floresta começa a se transformar em savana), Wagner Moura, Maria Gadu,Herbie Hancock, Rocky Dawuni, Butterscotch Clinton, Xiuhtezcatl Martinez, Cary Elwes, Alfre Woodard, Wade Davis e os vencedores do Grammy brasileiro Ivan Lins e Luciana Souza. A lista completa está aqui.

No momento, existem quase 120 mil casos confirmados de COVID-19 e mais de 6 mil mortes confirmadas na Amazônia. À medida que o novo coronavírus continua a se espalhar, os povos indígenas estão cada vez mais em risco e podem enfrentar um etnocídio em potencial. Os povos indígenas Achuar no Equador registraram uma dúzia de casos, os Shipibo do Peru registraram 58 mortes e no Brasil houve 147 mortes e 1350 casos. Devido à falta de recursos de saúde em toda a região, os casos provavelmente são subnotificados e as atividades ilegais de desmatamento e extração em terras indígenas aumentam ainda mais o risco de exposição. Em abril, centenas de organizações em todo o mundo assinaram uma moratória contra incursões na Amazônia e pediram o fim de todas as atividades destrutivas que degradem e desmatam ainda mais a Amazônia. Os povos indígenas são os melhores administradores e protetores da floresta amazônica e, portanto, sua proteção é vital para a saúde de nosso planeta. "Não podemos esperar mais pelo nosso governo … estamos em perigo de extinção", disse Jose Gregorio Diaz Mirabel, coordenador geral da COICA (Coordenador de Organizações Indígenas da Bacia do Rio Amazonas) e membro do povo Wakeunai Kurripaco da Venezuela.

"Este evento faz parte de uma extraordinária aliança de organizações e indivíduos dedicados a preservar a região com maior biodiversidade do planeta", comenta Sarah duPont, fundadora da Amazon Aid Foundation e co-diretora da River of Gold. "A mineração ilegal e não regulamentada de ouro é uma das formas mais perigosas de desmatamento na Bacia Amazônica e libera mercúrio tóxico no ecossistema. Desde a pandemia, a mineração de ouro explodiu em toda a Amazônia e em territórios indígenas, trazendo consigo violência e a COVID-19. A Amazônia está no ponto de inflexão e os protetores da Amazônia estão ameaçados. O que acontece na Amazônia afeta a todos nós."

Leila Salazar-López, diretora executiva da Amazon Watch, acrescentou: "A Amazônia e seus povos estão em estado de emergência devido às mudanças climáticas e à pandemia do COVID-19. É um crime contra a natureza e um crime contra a humanidade. É hora de todos se unirem e agirem em defesa da floresta e em solidariedade com os povos indígenas e tradicionais da Amazônia, que estão protegendo essa grande floresta tropical e nosso clima para toda a humanidade. e vida na Terra. "

Cadastre-se gratuitamente em nossa newsletter
Cadastre o seu email
I agree to have my personal information transfered to MailChimp ( more information )
We respect your privacy
Publicidade

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE