fbpx
Conecte-se conosco

Gastronomia

iFood terá entregas via drone a partir de outubro

Publicado

em

O presidente do iFood, Carlos Moyses, declarou em um comunicado que a partir de outubro a empresa fará suas entregas via drone.

As operações e os primeiros testes começaram no Shopping Iguatemi, em Campinas/SP, porém o objetivo não é dispensar os entregadores tradicionais do serviço, mas fazer com que eles trabalhem juntos para que as entregas aconteçam mais rapidamente.

A ideia é utilizar os drones para sobrevoarem áreas pouco atrativas ou muito congestionadas até aeroportos, localizados em prédios comerciais, para que os entregadores recolham e entregam as encomendas.

Carlos Moyses, CEO do iFood, e Bruno Henriques, vice-presidente de inteligência artificial do iFood. Imagem: Keiny Andrade/UOL

Todo o trajeto que os drones percorrerão precisarão ser pré-aprovados pela Agencia Nacional de Aviação Civil. Além disso, a startup planeja que o sistema de entregas seja multimodal, ou seja, em um futuro próximo tenha vários modelos de entregas diferentes além dos drones e entregadores.

A primeira fase de testes começa com o drone retirando um produto do shopping Iguatemi com destino ao iFood Hub, um centro de expedição da marca dentro do empreendimento. Em seguida, o pedido segue para o endereço de destino utilizando bicicletas ou motos.

“O drone ainda não fará entregas na janela dos clientes. A ideia é que ele complemente a operação dos modais tradicionais. Em um shopping, por exemplo, os entregadores podem levar até 12 minutos para retirar o pedido no restaurante e, com o uso do drone, esse tempo varia entre 30 segundos e 1 minuto”, explica Roberto Gandolfo, diretor de Logística do iFood.

A inserção de drones também melhora a imagem da empresa, visto que poderá diminuir a intensidade do trabalho dos entregadores.

O iFood será uma das primeiras empresas no Brasil a realizar entregas por aeronaves não tripuladas. A responsável pela iniciativa é a SpeedBird, que já traçou um cronograma e estabeleceu que as entregas começarão em outubro, porém a Anac ainda precisa fazer alguns ajustes antes de autorizar.

É uma questão de ovo e galinha ao mesmo tempo. Para voar, tem que certificar. Só que, para certificar, tem que voar.“, brinca Samuel Salomão, um dos fundadores da SpeedBird. Segundo o executivo, os primeiros voos do iFood serão cruciais para a aprovação com a Anac.

O iFood ainda não tem uma previsão de novos locais a receberem a iniciativa, mas a expectativa é ter 100 rotas traçadas em Campinas no momento inicial antes de expandir as áreas de atuação.

Via: Publicitários Criativos

Cadastre-se gratuitamente em nossa newsletter
Cadastre o seu email
I agree to have my personal information transfered to MailChimp ( more information )
We respect your privacy

Comments

comments

NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP

PARCEIROS

MAIS LIDAS

Copyright © 2012 XV Curitiba