Conecte-se conosco

Curitibanices

Estudante cadeirante motiva colegas na Guarda Mirim de Curitiba

Publicado

em

Foto: Lucilia Guiamrães/SMCS

O estudante Leonardo do Nascimento Santos, Escola Municipal Maria Neide Gabardo Betiatto, no bairro Umbará, é um exemplo para todos e um pioneiro. Único cadeirante a integrar a Guarda Municipal Mirim (GMM), o menino de 10 anos motiva os colegas a se unirem ao grupo, que já conta com 65 estudantes da unidade.

“Eu aprendi muito desde que comecei na Guarda Mirim, no início deste ano. Aprendi respeito, disciplina, estou mais organizado. Adoro fazer parte desse time”, disse Leonardo que, nesta quinta-feira (12/5), participou do desafio de aprender a se orientar com mapas. “Pretendo continuar na Guarda e também quero ser vereador, trabalhar pela acessibilidade das pessoas”, contou.

O programa, realizado de forma voluntária por integrantes da Guarda Municipal, trabalha valores como a cidadania e o respeito com o próximo com estudantes do Ensino Fundamental matriculados na rede municipal.

A mãe do Leonardo, Claudinéia, conta que a autoestima dele melhorou muito. “A evolução dele desde que entrou nesse projeto foi enorme. Antes mais quieto, agora está muito seguro de si e até dá ordens como 'mãe, coloca o cinto de segurança', essas coisas, acho muito bom para ele”, comentou Claudinéia.

O coordenador da GMM, Renato Freire Figueiredo, é o responsável pelas ações na unidade do Leonardo. “Ele faz tudo com entusiasmo e não deixa de fazer nada, é um exemplo mesmo a ser seguido”, elogiou Freire.

A estudante Amanda Oliboni, ex-aluna da escola Maria Neide, gosta tanto que, apesar de já estar em outro colégio, cursando o 9º ano, atua como voluntária toda quinta-feira. “Eu era meio bagunceira, a Guarda Mirim me ensinou responsabilidade, compromisso, disciplina, gosto muito de voltar aqui”, afirmou a menina.

Entusiasmo

A diretora Inês Cavichiolo e o vice-diretor Alexandre Ximenez Magron, diretamente envolvido nas atividades da GMM, avaliam que o projeto traz muitos benefícios a todos.

“Depois do isolamento da pandemia, as crianças estão animadas para atividades coletivas”, relatou Inês. A unidade tem mais de 600 estudantes, do pré ao 5º ano.

Para Alexandre, o engajamento de todos é fundamental. “Envolvemos as famílias na Guarda Mirim. Quando o estudante decide participar, conversamos com as famílias e explicamos como funciona e a necessidade de comprometimento”, frisou o professor.

Retorno gradual

Após interromper temporariamente as atividades por conta da pandemia de covid-19, a Guarda Municipal Mirim começou seu retorno gradual no segundo semestre do ano passado. As aulas presenciais foram suspensas ao longo de 2020 e o ensino híbrido foi retomado a partir de julho de 2021 nas unidades educacionais.

As atividades recomeçaram pela Escola Municipal Rio Negro, no Sítio Cercado.

A GMM iniciou as atividades em outubro de 2004. Idealizada pelo guarda municipal Marcelo Boza Filho, a iniciativa acumula a participação de mais de 50 mil estudantes.

Antes da pandemia, a GMM chegou a englobar 1.650 estudantes em 26 escolas da cidade, orientados por 16 guardas voluntários, responsáveis pela aplicação de ensinamentos.

Saiba mais sobre inclusão na rede municipal de Curitiba.

Publicidade