fbpx
Conecte-se conosco

Colunistas

Crítica | A Maldição da Chorona

Publicado

em

Para quem gosta de um filminho de terror, chega mais que eu tenho algo para contar. Em 2019, estamos recheados de boas estreias de filmes de terror, e nesta semana do mês de abril, mais uma está entre nós. E não é qualquer estreia. É mais um filme produzido por James Wan e que faz parte do universo de Invocação do Mal. E esse tal filme se chama A Maldição da Chorona. 

Essa nova estratégia de universos compartilhados tem se tornado moda nos cinemas. O primeiro grande case de sucesso é da Marvel Studios, com o seu famoso "UCM", O Universo Compartilhado da Marvel, onde todos os heróis estão conectados no mesmo universo e depois de 18 filmes, todos eles se encontraram em Vingadores: Guerra Infinita. A rival DC tentou fazer o mesmo com seus filmes, mas ainda não obteve o mesmo êxito. A Universal tentou fazer o mesmo com seus monstros e também não começou muito bem. Entretanto, quem parece estar caminhando muito bem para o sucesso com essa estratégia é a franquia Invocação do Mal. Tudo começou com Invocação do Mal (2013), depois vieram Annabelle (2014), Invocação do Mal 2 (2016), Annabelle 2 – A Criação do Mal (2017), A Freira (2018), e agora, A Maldição da Chorona. Contudo, quando eu disse que seus antecessores caminham bem, há ressalvas. A franquia é um sucesso de bilheteria, mas ainda não é unânime em críticas. Teve acertos com Invocação do Mal e Annabelle 2: A Criação do Mal, e erros como Annabelle e A Freira. Portanto, será que o novo filme deste universo conseguirá obter sucesso de bilheteria, e principalmente, de crítica? Veremos a seguir. 

Bom, a resposta é sim e não, em partes. Primeiro, não posso prever neste momento como será a bilheteria do filme, já que ele estreia essa semana nos cinemas, mas imagino que neste quesito, será um sucesso. São filmes que já estão, a cada ano que passa, se consolidando cada vez mais entre o público, e os fãs esperam por essas sequências. Mas, agora falando da qualidade do filme, A Maldição da Chorona não consegue ser tão bom quanto foi os melhores filmes do Universo de James Wan até aqui. O filme apresenta grandes falhas e não consegue nos trazer aquela tensão que geralmente sentimos em filmes de terror. Porém, não significa que o filme é de todo ruim. Podemos dizer que ele apresenta bons e maus momentos.

A história de Chorona é uma lenda urbana mexicana e isso é basicamente tudo que sabemos sobre ela no filme, além da introdução no início, que parece começar bem e acaba ficando por isso mesmo. A trama é rasa, sua história não é muito aprofundada e o diretor Michael Chaves acabou optando pela famosa tática de "jumpscare", onde nos colocam sustos atrás de sustos goela abaixo, com aquelas cenas que entram abruptamente em tela no som mais alto possível, fazendo quem estiver assistindo dar pulos nas poltronas. Mas convenhamos que até que é legal, vai? Muitos, inclusive, podem gostar disso. O problema é que o filme acaba apelando apenas para isso. Nem mesmo a colaboração de James Wan na produção do filme conseguiu ajudar a salvar o filme nesse quesito. Mas bom, quem realmente é Chorona? Segundo a lenda mexicana, a sua história se passa com uma mulher que afogou os seus filhos e logo depois se matou da mesma forma. Condenada pelos espíritos a chorar pela eternidade, ela vaga à procura de outras crianças para substituir seus filhos falecidos. Tenso, né? 

Talvez, o erro do Diretor Chaves foi não ter colocado sua própria identidade no filme. A fórmula de James Wan deu certo em seus filmes, mas não significa que tentar seguir seu caminho (ou até mesmo repetí-lo) também dará certo. Para seus próximos filmes, os produtores precisam entender que isso não é uma linha de montagem e que tem uma fórmula fixa a ser seguida. Bom, e como pontos positivos (afinal, também tem coisas boas), o filme apresenta uma boa fotografia, mais escura, como de praxe nos filmes do universo Invocação do Mal, e que dão ao filme um ar muito mais sombrio, uma marca registrada de James Wan. As atuações estão ótimas, principalmente da protagonista Linda Cardellini e das crianças do filme (que aliás, filme de terror sem crianças e espíritos, não é filme de terror, né?). E o visual também está assustador, principalmente da própria Chorona. Vai dar medinho em muita gente. E bom, como citado no início do texto, os "jumpscare" não faltam. Se você gosta de tomar uns bons sustos na sala de cinema, vai gostar dessa parte. 

No mais, A Maldição da Chorona é um filme que não ficou à altura do terror que esperávamos, mas funciona bem para uma boa sessão de sustos com seus amigos. E como sempre digo nas minhas críticas: independente se o filme tiver repercussões positivas ou negativas, vá ao cinema. Tire suas próprias conclusões. Sua opinião é o que sempre deve valer para você mesmo. Então é isso, até a próxima. 

 

Lucas Camargo @_lucasanti

 

Essa matéria contou com uma parceria especial da Shelby Fit, uma loja online feita para quem curte tecnologia e busca por qualidade de vida, com itens iradíssimos como relógios, fones de ouvido e acessórios esportivos. Separei um código de 5% de desconto para os leitores do XV que quiserem comprar na loja. O código é LUCA5. Para visitar o site, é só clicar no banner.

Trailer: 

Cadastre-se gratuitamente em nossa newsletter
Cadastre o seu email
I agree to have my personal information transfered to MailChimp ( more information )
We respect your privacy

Comments

comments

Siga o BRDE nas redes sociais!

CADASTRAMENTO ESCOLAR

NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP

PARCEIROS

MAIS LIDAS

Copyright © 2012 XV Curitiba