secretária do Meio Ambiente, Marilza Dias, recebeu, na tarde desta terça-feira (24/4), os professores de ioga Silvio Lopes e Val Brito, representantes do grupo Yoga no Parque, que promove atividades em unidades de conservação da cidade desde 2010. 

O encontro na Secretaria do Meio Ambiente teve como objetivo a aproximação do grupo com o poder público e a formalização da autorização de uso destes espaços. “Definimos com o grupo do Yoga no Parque que eles devem fazer a formalização do pedido de autorização de uso dos espaços para a prática, o que deve acontecer já nesta quarta-feira (25/4)”, explicou Marilza.

Segundo a secretária, com o pedido formalizado, as atividades já podem ser desenvolvidas sem problemas neste fim de semana em área apropriada dentro do Jardim Botânico. Foi solicitado que constem no documento todos os locais onde o grupo costuma se reunir e a observação de que a atividade é gratuita e aberta a todos os frequentadores das unidades de conservação que quiserem participar.

Conversa

Para Silvio Lopes, idealizador do Yoga no Parque, a oportunidade do diálogo aberto na Secretaria do Meio Ambiente foi muito importante. “Saímos muito satisfeitos com a recepção da secretária Marilza, inclusive com a possibilidade de crescer e levar a prática a outros lugares”, adiantou. “Se conseguirmos aumentar essa parceria, também será muito bem-vinda, é algo que já sonhamos há oito anos”, completou.

Val Brito acredita que essa aproximação pode render bons frutos. “Assim vamos poder difundir ainda mais a prática de ioga, que é o nosso principal objetivo”, disse. 

Polêmica

A regularização da situação foi motivada por um incidente que causou a saída do grupo do Yoga no Parque do Jardim Botânico no último sábado (21/4). Em razão de um evento autorizado que acontecia no mesmo dia no Jardim Botânico, os praticantes se dirigiram a uma área que contém uma das coleções vegetais do espaço, uma área preservada. 

“O Jardim Botânico é uma unidade de conservação diferente de um parque. Há mais restrição de uso em razão da presença de coleções botânicas preservadas, algumas já em extinção”, explicou a secretária Marilza.
Inaugurada em 1991, a unidade de conservação é uma área protegida e que abriga, além de um bosque com nascentes, coleções de plantas vivas para estudo e pesquisa.

Presenças

Participaram do encontro, ainda, o secretário da Defesa Social e Trânsito, Guilherme Rangel; e os diretores da Secretaria Municipal do Meio Ambiente José Roberto Roloff (Departamento de Produção Vegetal) e Jean Brasil (Departamento de Parques e Praças).

Foto: Reprodução/Facebook

Comments

comments