Um projeto de lei que define que o transporte público coletivo de Curitiba deve possuir sistema de emergência por meio de dispositivo eletrônico acionado por botão de pânico foi acatado pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara. A matéria, de autoria dos vereadores Dr. Womir Aguiar (PSC) e Cristiano Santos (PV), foi relatada por Osias Moraes (PRB). Outros 24 projetos foram apreciados pelo colegiado.
 

Moraes contou que no ano passado a comissão encaminhou o projeto à Urbs para análise da viabilidade. Em resposta, o gestor da área de Tecnologia de Transporte informou que os ônibus já dispõem desse sistema e o órgão então manifestou-se contrário à criação da lei. No entanto, o relator defendeu a necessidade de um sistema eficaz. 
 

Em setembro de 2017, a Comissão de Direitos Humanos, Defesa da Cidadania e Segurança Pública promoveu uma audiência pública sobre o tema. Uma das conclusões foi que era necessário efetivar o uso do botão pânico com a chamada da força policial quando o trabalhador do transporte coletivo o aciona – motoristas e cobradores se queixaram de que a tecnologia faz a comunicação com a empresa de transporte, mas não com a polícia, que acaba não sendo comunicada.


 Foto: Daniel Castellano / SMCS

Comments

comments