Uma casa noturna localizada no Centro de Curitiba realizou uma festa no último fim de semana, de sábado para domingo, onde um tigre e uma jiboia foram os destaques do evento, atraindo os olhares dos participantes.

Diversas fotos de pessoas interagindo com os animais foram postadas nas redes sociais e, a partir disso, Paulo Colnaghi, que é um ativista da proteção animal, denunciou o caso ao Ministério Público.


Segundo ele, os bichos ficaram expostos e em situação de maus-tratos, considerando o ambiente inadequado. Ele afirmou que essa situação é crime e pode ter pena prevista em lei federal, de três meses a um ano de detenção. O ativista está juntando informações e declarações de testemunhas que possam ajudar nas investigações.


Em Curitiba, existe uma lei municipal que também proíbe a utilização e apresentação de animais em “circos, espetáculos e assemelhados”. A Delegacia do Meio Ambiente também vai ajudar na apuração do caso.

Em entrevista a Rádio Band News, nesta manhã (14), uma mulher que não quis ser identificada falou que achou um absurdo a situação. “O tigre era de verdade, eu tenho certeza. Algumas pessoas chegavam perto da jaula para tirar foto. Eu não estava no celular na hora, nem meu esposo, mas ficamos observando aquilo por dois ou três minutos, e achamos um absurdo.

Saí daquele setor e fui atrás de uma pessoa que fazia parte da staff da casa. Fiz a reclamação, falei “olha, é um absurdo vocês manterem um animal desses aqui dentro”. Aparentemente ele tava sedado porque apesar dele estar ali deitado, movimentado a cabeça e tal, em nenhum momento ele levantou e se movimento dentro da jaula. Então ele estava aparentemente sedado. A pessoa simplesmente me pediu: “não… fique quieta, fique quieta e saiu perto de mim”.”
 
(Foto: Reprodução / Instagram)

Comments

comments