Homem suspeito de quatro homicídios é preso em Almirante Tamandaré

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Almirante Tamandaré cumpriu um mandado de prisão temporária contra Ayrton Liani de Oliveira, 29 anos, vulgo “Smigle”, no último sábado, (07/07), no bairro Areias, em Almirante Tamandaré. O homem é suspeito de ter assassinado a tiros Marcelo do Nascimento, no dia 11 de novembro de 2017, com uma escopeta calibre 12, na frente da irmã e da mãe da vítima.

Segundo as investigações, um dos motivos do crime seria possivelmente a briga pelo tráfico de entorpecentes. Outro motivo seria que a vítima teria presenciado a morte de outro traficante, morto também pelo suspeito.

“O Smigle chamou a vítima pelo nome e atirou na região abdominal sem dizer nada. Sobre ele pende ainda indícios dos homicídios de Samuel Ramos Camargo e Wilian Teixeira Cardoso, presenciado pela vítima”, conta o delegado-titular da Delegacia de Almirante Tamandaré, Tito Lívio Barichello.

Consta no inquérito policial que Oliveira teria sido autor da morte de Willian Teixeira, amigo da vítima. Após a morte do amigo, ele teria jurado vingança e assim que o suspeito soube da ameaça, foi até a casa da vítima e cometeu o crime sendo a família testemunha dos fatos.

Ainda de acordo com o delegado Barichello, o investigado é de alta periculosidade e testemunhas também teriam o reconhecido como autor do crime. O homem está preso em Almirante Tamandaré e à disposição da Justiça.

Ação Distinta – Outra ação importante realizada pela Delegacia de Almirante Tamandaré, foi a decretação da prisão temporária dos investigados Jhonatan Alencar do Rosário, vulgo “Maconha”, Cassiano Esteves Sardinha e Luis Felipe da Silva Mourão, que estavam na carceragem da delegacia e tinham obtido liberdade provisória mediante fiança de 10 mil reais.

O pedido da temporária foi realizado no plantão judiciário de quinta-feira (05/07). Os advogados dos presos já estavam na delegacia para levarem seus clientes quando foi obtida a prisão temporária concedido pelo juiz de Rio Branco.

Rosário responde por um homicídio em que a vítima levou trinta tiros nas costas e a mulher da vítima que estava no local, conseguiu fugir, mas ficou ferida com um tiro no braço. Eram três indivíduos armados e a execução se deu por disputa do tráfico, havendo ainda informação de que os três estavam em um Celta vermelho, veículo achado queimado posteriormente com alerta de roubo.

“Uma testemunha que não se dispôs a ir até a delegacia por temer pela vida, mas que nos contou que viu o Maconha e outros dois indivíduos em uma distribuidora de bebidas perto do local do crime, inclusive com o Celta vermelho. Os calibres achados no corpo da vítima são 9mm e .40, os mesmos das armas apreendidas”, conclui Barichello.

Comments

comments