No dia 19 de outubro (sexta-feira), uma das bandas de samba e pagode mais conhecidas e aclamadas em todo o Brasil volta à capital paranaense com o show do DVD Raça Negra & Amigos II, no Teatro Positivo. Os músicos cantarão não só os sucessos conhecidos em suas vozes, mas, também, as canções que ficaram famosas por outros cantores e grupos, e que fizeram parte da gravação do DVD da banda.

 

O Raça Negra teve sua primeira formação em 1983, quando começaram a tocar, em ritmo de samba, nos bares da Zona Leste de São Paulo, músicas já conhecidas nas vozes de outros cantores. No entanto, na época, o grupo era um trio chamado ‘A Cor do Samba’, e o nome foi descartado após comentários preconceituosos evidenciados por seus fãs, que sugeriram que o nome fosse trocado. Luiz Carlos, vocalista, se dividia entre as noites paulistanas e o emprego de vendedor para se manter e ir em busca da tão sonhada fama.

 

Quando o trio começou a ganhar mais notoriedade, outros integrantes passaram a compor a banda, variando na diversidade de instrumentos. Então, eles gravaram fitas e entregaram às gravadoras, até que uma delas se interessou pelo trabalho e decidiu dar uma chance aos músicos. O primeiro disco foi lançado em 1991 e trouxe a canção ‘Caroline’ em seu setlist, que explodiu e levou a banda a se apresentar em programas de TV de São Paulo e do Rio de Janeiro. Não demorou muito para que a música contagiasse todo o país e, logo, os artistas entraram no calendário dos shows mais requisitados de várias cidades.

 

Com mais de 30 anos de carreira, foi nos anos 90 que o Raça Negra chegou ao ápice da fama. Foram nove LPs lançados que continham diversos sucessos do grupo, como ‘Cheia de Manias’, ‘Estou Mal’ e ‘Cigana’. O quinto álbum vendeu mais de 500 mil cópias graças à música de trabalho ‘Pro Dia Nascer Feliz’, do rockeiro Cazuza, que foi tema de uma campanha nacional para alertar a população sobre os perigos da AIDS.

 

A partir dos anos 2000, o Raça Negra diminuiu o ritmo de lançamentos e quantidade de shows, mas isso não inibiu o sucesso da carreira. Pelo contrário, os músicos fizeram duas grandes turnês (uma nos Estados Unidos e outra no Japão), lançaram seus discos na África, Ásia e Europa, realizaram duetos com importantes nomes da música como Erasmo Carlos e Neguinho da Beija-Flor, além de se programarem para outras apresentações no exterior.

 

Hoje, as canções do grupo são cantadas por pessoas de todas as idades e classes sociais, tendo versos estampados em camisetas, sendo tema de festas, e tocando em rádios e baladas do país todo como algo cool e vintage. Inclusive, o Raça Negra está no Livro dos Recordes (Guinness Book) com a canção ‘É Tarde Demais’, que foi tocada nas rádios mais de 600 vezes em apenas um dia.

 

A ideia do DVD Raça Negra & Amigos II apareceu com o intuito de homenagear seus companheiros de palco. Assim, os artistas compartilham suas experiências musicais em uma grande mistura de ritmos, que se torna uma verdadeira festa para o público. Os ingressos para o evento em Curitiba podem ser adquiridos pelo site do Disk Ingressos ou recebidos em casa por meio da Central de Atendimento.

 

Serviço

Data: 19/10

Horário: Abertura da casa às 20h. Início do show às 21h

Local: Teatro Positivo – Grande Auditório

Valor: A partir de R$ 80,00 + taxas

Informações: 41 3315-0808 ou [email protected]

 

Sobre Raça Negra

Foi a primeira banda de samba a tocar numa rádio FM com a música “Caroline”. Na década de 90,entrou para o Guinness Book com a canção “É tarde demais” devido a impressionante marca demais de 600 execuções em rádios num só dia. Mas todo este sucesso teve uma pitada de ousadia: aincursão de instrumentos incomuns ao seguimento como naipes de metais. A popularização dosamba nos meios de comunicação tem nome e sobrenome – Raça Negra!

 

A ascensão da banda para outros países veio com oitavo LP lançado também na Europa, Ásia eÁfrica, com as músicas "Preciso desse amor" (Luiz Carlos e Antônio Carlos Carvalho) e "É amordemais"(Elias Muniz e Luiz Carvalho), consagrando um dos maiores fenômenos musicais dos anos90.

 

Luiz Carlos sempre teve a batuta nas mãos para reger os passos do Raça Negra e é um íconeentre os nomes que surgiram posteriormente. Impossível falar em alguém que canta, toca e vive desamba que não tenha bebido da fonte dos Raça Negra.Este ano eles completam 34 anos decarreira e trazem na bagagem 12 vinis, 28 CDs e quatro DVDs e mais 36 milhões de discosvendidos.

 

Para comemorar esta carreira de sucessos em 2012 gravam um DVD repleto de convidadosespeciais: Alexandre Pires, Belo, Bruno (Sorriso Maroto), Léo Magalhães, Amado Batista a jovem etalentosa sambista Juliana Diniz, Michel Teló – este no auge do hit que ganhou o mundo: “Ai se eute pego” – e para completar os filhos de Luiz, Juliana e Raffa.

 

Já em 2014 surgiram com o projeto Gigantes do Samba unindo duas gerações: Raça Negra e Só PraContrariar com a formação completa inclusive, com Alexandre Pires no vocal. Mais um sucessocarimbado que ganhou o Brasil com uma turnê que percorreu todo o território nacional. No finalde 2015 gravaram um CD chamado “Rei do Baile”, no trabalho a banda regravou músicas como“Pescador de ilusões” (Rappa), "De janeiro a janeiro" (Nando Reis) e "Fogo e paixão" (Wando).

 

Comments

comments