O prefeito Rafael Greca e a governadora Cida Borghetti inauguraram, na manhã desta quarta-feira (4/7), as obras de reestruturação da Avenida Manoel Ribas quatro meses antes do prazo previsto. A cerimônia foi em frente à Casa Culpi. Esta é a segunda maior obra de Curitiba depois da Linha Verde, compreende um trecho de 3,2 quilômetros de obras passando pelos bairros Santa Felicidade e Buitiatuvinha. A Manoel Ribas é a principal ligação da região de Santa Felicidade, é também uma via de ligação metropolitana.

Diante das autoridades, da comunidade e das crianças do 5º ano da Escola Municipal João Stival, que também estavam presentes, o prefeito Rafael Greca agradeceu à equipe da prefeitura que fez as obras em 15 meses.

"Foram quatro meses antes do prazo previsto pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento. O dinheiro existia no BID, banco onde fomos buscar recursos por anos na prefeitura", disse Greca, ao explicar que o projeto foi desenvolvido quando Beto Richa era prefeito e ficou parado na gestão passada. "Nós já não éramos a Curitiba que entregava obra antes do tempo."

Ele também agradeceu ao Governo do Estado. "Agradeço a parceria que me deu mais de R$ 6 milhões para a obra, coloquei quase R$ 7 milhões da fazenda municipal e emprestamos R$ 7 milhões do Banco Interamericano. Com isso fizemos os R$ 20 milhões da obra", disse o prefeito, que destacou que o custo foi mais baixo, permitindo ainda a pavimentação de uma rua em frente à Praça Vêneto, que foi revitalizada pela Secretaria do Meio Ambiente. A praça recebeu ainda uma miniarena construída com recursos do Governo do Estado, resultado de emenda parlamentar da deputada Maria Victoria.

Ligação metropolitana

"Tenho grande alegria de entregar a Manoel Ribas revitalizada. São 3.200 metros entre a Rua Madre Clélia Merloni e o acesso à Estrada do Cerne, que leva à Ouro Fino, a Bateias e a Londrina, no norte do Paraná. É uma ligação metropolitana. Por aqui passou toda a riqueza que ergueu o Paraná do Século 20. É rua pra ninguém botar defeito. Vamos investir cada vez mais nas ligações metropolitanas", disse o prefeito.

Durante a cerimônia, o prefeito, a governadora Cida Borghetti e outras autoridades, assinaram autorização para liberação de R$ 1,5 milhão para a prefeitura licitar a elaboração do projeto do novo Viaduto do Órleans. A obra sobre a BR-277 é a principal ligação viária entre os bairros de Santa Felicidade, São Braz e Órleans, pela Avenida Toaldo Túlio, ao Campo Comprido, pela Rua João Falarz.

A governadora Cida Borghetti destacou a importância da nova Manoel Ribas. "Este bairro respeita a história da imigração italiana, é um bairro querido do povo brasileiro. O Paraná se sente grato em participar desta obra, pois sabemos da responsabilidade do prefeito Rafael Greca. Esse é um estado que prioriza a população. Estamos ampliando a qualidade de vida dos paranaenses", disse a governadora.

Na Manoel Ribas

A intervenção na Manoel Ribas desde a Rua Madre Clélia Merloni até o Contorno Norte (PR-418) incluiu obras de drenagem para melhorar o sistema existente, novo pavimento com asfalto de qualidade, adequado às características da via, calçadas com rampas de acesso, ciclofaixa, nova iluminação, paisagismo, cerca de 300 vagas de estacionamento conforme as características da via, para atender a demanda da região. O projeto de restruturação da avenida foi contratado pelo IPPUC (Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba).

Pelo trecho revitalizado passam cinco linhas de ônibus: José Culpi, Passaúna, madrugueiro Santa Felicidade e, aos domingos, Passaúna – Jd.Ipê e José Culpi – Veneza. O tráfego da via é intenso. São mais de 23 mil veículos por dia.

Viaduto do Órleans

A obra do Viaduto do Órleans é uma das mais aguardadas pelos que moram, trabalham ou trafegam pela região. O anteprojeto, doado pela concessionária Rodonorte e validado pelo Ippuc, prevê a implantação de dois novos viadutos nas proximidades do existente na Avenida Toaldo Túlio. Por lá passam cerca de 3 mil veículos por hora nos horários de pico. 

Após a obra, a estrutura atual será destinada apenas a pedestres e ciclistas. As transposições, que funcionarão como uma espécie de rótula estendida, vão solucionar os problemas de engarrafamento na região. Sem a necessidade de semáforos, não haverá interrupções nos deslocamentos sobre a rodovia.

Pelo orçamento preliminar, o Governo do Estado deve investir R$ 30 milhões nesta obra. Deste total, metade é a fundo perdido, repassados pela Secretaria de Estado da Infraestrutura e Logística (SEIL). A outra metade será financiada pela prefeitura via Fundo Estadual de Desenvolvimento Urbano (FDU), administrado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano (SEDU). Um protocolo de intenções foi assinado no início de abril pelo então governador Beto Richa e pelo prefeito Rafael Greca. 

Comments

comments