Após dois meses de investigações, o ex-secretário de Obras e o presidente da Câmara de Vereadores do município de Virmond, Centro-Sul do Estado, foram presos novamente pela Polícia Civil de Cantagalo, na tarde desta quinta-feira (14/06), durante uma operação policial denominada Embuste.

As investigações iniciaram em abril deste ano depois que a delegacia foi informada que máquinas da prefeitura estariam sendo utilizadas de forma irregular na região rural do Rio Tapera para a construção de um estacionamento. Seguindo diligências até local, a equipe policial encontrou o vereador e um homem, de 56 anos, utilizando as máquinas para fins particulares.

Conforme informações apuradas pela investigação, três caminhões, uma pá escavadeira e mais três servidores públicos da Secretária de Obras estavam no local construindo um estacionamento e aplainando um terreno de uma chácara na região. Na época, o presidente da Câmara de Vereadores foi autuado em flagrante.

Dando continuidade as investigações, a equipe policial conseguiu chegar até um casal de idosos que negou prestar depoimento na delegacia a pedido do vereador. “O vereador pediu para este casal comparecer na delegacia para testemunhar a seu favor, falando que as obras utilizando o maquinário da prefeitura eram para uma estrada e não para o estacionamento”, falou o delegado responsável pelas investigações, Igor Rabel Corso.

O delegado ressalta ainda que o vereador estaria aliciando ou ameaçando testemunhas, a fim de elaborar um protocolo retroativo falso de abertura de estrada, visando justificar a atuação do maquinário na propriedade particular. “Seu objetivo declarado às testemunhas era evitar pena de 2 a 12 anos por peculato”, falou Corso.

Durante as diligências, a equipe chegou até a casa do ex-secretário de Obras onde três armas foram apreendidas, sendo duas espingardas (calibre 22 e 28) em situação irregular, uma garrucha sem registro e munições. Ele foi autuado em flagrante pelo crime de posse irregular de artefatos e munições.

Ainda seguindo os trabalhos, foi cumprido na residência do vereador um mandado de busca e apreensão, onde a equipe apreendeu vários documentos relacionados ao caso. Ele foi autuado pelos crimes de peculato, fraude processual e participação de falso testemunho.

A dupla foi conduzidas a unidade policial onde permanece à disposição da Justiça. No nome da operação “Embuste” é uma espécie de mentira ou tentativa de enganar uma pessoa, fraudar algo.

Comments

comments