A Polícia Civil deu início nesta manhã (20), em Curitiba e região metropolitana, a operação batizada de “Taxa Extra”, para cumprir mandados de busca e apreensão e prisão temporária de nove pessoas envolvidas na fraude de impostos municipais.

Após denúncia feita e encaminhada pela Procuradoria Geral do Município de Curitiba ao Nurce (Núcleo de Repressão a Crimes Econômicos), da Polícia Civil, foi que se deu a investigação, com duração de aproximadamente cinco meses.

A suspeita é que os envolvidos no crime estejam agindo há cerca de dez anos, cometendo fraudes no IPTU (Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana), ITBI (Imposto sobre a Transmissão de Bens Móveis) e ISS (Imposto Sobre Serviços).

Entre os envolvidos estão servidores públicos da prefeitura de Curitiba, um deles inclusive com mais de 20 anos no serviço público. Nesta manhã, um dos mandados de busca foi na sede da Prefeitura de Curitiba. Outro, em uma das sedes localizadas na Rua da Cidadania, que funcionam como administrações regionais.

Além dos mandados, a Justiça autorizou quebra de sigilo fiscal e bancário de cinco pessoas da quadrilha, entre elas alguns servidores da prefeitura. Os nomes dos servidores envolvidos não foram divulgados.

A ação tem o apoio do Cope (Centro de Operações Policiais Especiais), unidade de elite da PC, e do Nuciber (Núcleo de Combate aos Ciber Crimes).

Em nota, a Prefeitura de Curitiba, através da sua assessoria destacou:

“A Prefeitura de Curitiba solicitou à Polícia Civil investigação sobre possíveis fraudes em tributos do município (ISS, IPTU E ITBI), após receber denúncias e fazer verificação interna, na qual foram detectadas alterações no sistema responsável por esses dados, durante o ano de 2017. Com a divulgação da investigação Taxa Extra, a Procuradoria Geral do Município vai abrir processo administrativo para tirar do quadro funcional os servidores envolvidos com a fraude”.

Foto: Maurilio Cheli/SMCS (arquivo)

Comments

comments