Por conta da greve dos caminhoneiros, batata doce, batata salsa, cenoura, laranja, melão, poncã, caqui, mamão e banana são algumas das frutas e verduras que ainda deverão demorar a chegar, em grande quantidade, nos mercados, sacolões e feiras da Prefeitura.

“A regularização do abastecimento levará cerca de uma semana, pois muitos destes hortifrutigranjeiros estragaram nos bloqueios nas estradas e os caminhões estão retornando ao interior de São Paulo e ao Nordeste para buscar produtos frescos”, explicou o secretário municipal de Agricultura e Abastecimento (Smab), Luiz Gusi.  

Com a desmobilização dos caminhoneiros, alguns Sacolões da Família começaram a receber mercadorias já nesta quarta-feira (30/5). Com isso, pontos que ainda não tinham previsão de voltar a funcionar, como a unidade do Boa Vista, já reabriram. Durante o feriado, vários sacolões vão funcionar em horário normal (confira no abre e fecha da Prefeitura).

“Os comerciantes dos sacolões foram buscar alimentos frescos de outros fornecedores, que não estavam retidos nas estradas. Assim, eles conseguiram reabastecer os sacolões”, disse José Carlos Koneski, diretor do Departamento de Abastecimento da Smab. Segunda-feira (4/6), as unidades do Boa Vista, Boqueirão, Jardim Paranaense, Carmo, Fazendinha, Vila Sandra, Santa Cândida, Santa Felicidade e Pinheirinho vão funcionar normalmente.

Previstos inicialmente para voltarem a funcionar na segunda-feira (4/6), os pontos do Nossa Feira só reabrem na terça-feira (5/6). “Como são cooperativas de agricultores da grande Curitiba, eles têm mais dificuldade de negociar preços no atacado, que estão muito altos por conta da greve”, explicou Koneski.

Desde a última quarta-feira (23/5), o programa não está funcionando por conta dos altos preços devido ao fechamento da Ceasa durante a paralisação dos caminhoneiros.

Mesmo com a falta de várias frutas e verduras, as feiras livres funcionam em horário normal nos próximos dias.  

Armazéns

A partir desta segunda-feira (4/6), os 33 Armazéns da Família da Prefeitura começarão a receber alimentos perecíveis, como frango, embutidos (mortandela e linguiças), ovos e tilápia, que estavam em falta devido à greve. “Os caminhões dos nossos fornecedores estavam parados na estrada, desde a semana passada. Com isso, muitos desses produtos estragaram e os veículos estão retornando às indústrias e produtores neste momento”, disse Inove Aparecida de Melo, diretora do Departamento de Abastecimento Social da Smab. As unidades vão abrir na sexta-feira (1º/6) e sábado (2/6).

Os cinco restaurantes populares da Prefeitura funcionaram, normalmente, durante a paralisação dos caminhoneiros.

Comments

comments