Nesta quinta,8, o Festival Solid Rock iniciou sua turnê brasileira em Curitiba, seguindo para São Paulo, 10 e Belo Horizonte, 14. No palco, shows completos de Judas Priest, Alice in Chains e Black Star Riders. Metal pesado de boa e melhor qualidade.

A Curitiba roqueira encheu mais uma vez a Pedreira Paulo Leminski para mostrar seu grito de resistência na capital paranaense. Aqui o rock nunca perdeu sua força, seja pela música, seja pelo estilo de vida. E aqui, a chuva não é uma convidada, ela é quem convida.

Uma garoa fina e constante caía no entardecer da capital de todos os paranaenses, quando os Black Star Riders entraram no palco. O pessoal ainda chegando, mais gente para fora dos portões do que para dentro, quando o antigo Thin Lizzy, iniciou seu show. Hard rock honesto e competente que serviu para aquecer a plateia da pancadaria que viria a seguir. 

Os americanos do Alice in Chains, estão desde 1987 na estrada e após a morte do vocalista Layne Staley em 2002, quando os fãs pensavam que a banda era mais uma que ficaria na memória, eles ressurgem com o novo vocalista Willian DuVall, que não só segurou bem os vocais nas músicas antigas, como agregou mais uma guitarra dando um preenchimento musical extra ao som da banda. No show de Curitiba, é preciso destacar o baterista Sean Kinney que imprime um peso na “cozinha” do Alice in  Chains além da conta!!!

Para encerrar a noite, de Birmingham, Inglaterra, o Judas Priest é uma das poucas bandas de heavy metal que em seus 40 anos de carreira, conseguiram manter o status e influência tão em alta por tanto tempo. O mais recente álbum de estúdio, “Firepower”, ficou entre os 5 mais bem colocados da Billboard Top 200 nos EUA e figurou nas paradas em diversos locais do mundo.

Já haviam tocado na Pedreira junto com Motorhead e Ozzy Osbourne, mas desta vez vieram como a principal atração e mais uma vez não decepcionaram. Com pouco mais de duas horas de show, eles arrebentaram os tímpanos da plateia, mostrando que tem pelo menos mais 40 anos pela frente a serviço do bom e velho rock and roll.

O vocalista Rob Halford é uma “senhora” de 67 anos que desfilou um guarda roupa de casacos brilhantes a cada música que cantava, ao mesmo tempo que movia-se pelo palco de um lado a outro feito um sacerdote, gesticulando como se abençoasse os ouvintes em cerimônia exorcista.

O segundo Solid Rock mostrou que Curitiba ainda é bem roqueira e está sempre de portas abertas para bandas e artistas que queiram mostrar sua #resistência aos modismos “fascistas” que surgem de tempos em tempos na cena musical mundial.

Comments

comments