Um homem, de 24 anos, suspeito de receptação qualificada, foi preso por policiais da Delegacia de Furtos e Roubos (DFR), na quinta-feira (26/07), em Curitiba. Segundo a polícia, o rapaz teria anunciado a venda de objetos que haviam sido roubados de uma residência, no dia 21 de julho, no bairro Sítio Cercado. Uma vítima reconheceu o suspeito como um dos suspeitos do roubo.

De acordo com o delegado-adjunto da DFR, Emmanoel David, a vítima, uma mulher, de 27 anos, identificou alguns objetos eletrônicos em anúncios de um aplicativo de compras e vendas. “Ela entrou em contato com a delegacia, e designamos uma equipe para acompanhá-la até o local em que ela teria marcado o encontro com o suposto anunciante, no município de Fazenda Rio Grande”, explica o delegado.

Ao ser abordado com um videogame e uma televisão, na rua Oliveira, no bairro Eucaliptos, o suspeito tentou justificar que trabalha com a venda de produtos por aplicativos, e que não se lembrava da origem de todos os produtos que ele anunciava. Na delegacia, no entanto, a vítima reconheceu o rapaz como um dos indivíduos que a fizeram refém e roubaram os objetos de sua casa.

Além de acumular apreensões enquanto menor de idade, ele já respondeu por crime de roubo e homicídio, onde teria participado da morte de um homem (de 32 anos) em dezembro de 2015. Ele estava em liberdade condicional, já que havia em vigor um mandado de monitoramento expedido pela 2ª Vara de Execuções Penais de Curitiba.

O jovem foi autuado em flagrante pela receptação qualificada e também deve responder pelo roubo. Ele permanece custodiado no setor de carceragem temporária (Secat) da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV), à disposição da Justiça.

ROUBO – Eram por volta das 4h30 da madrugada do dia 21 de julho, quando três homens invadiram a casa onde a vítima (a mulher de 27 anos) dormia na companhia de dois filhos. Conforme o relato da vítima, o suspeito e os outros dois homens levaram diversos objetos eletrônicos como aparelho de tv, vídeo game, celular e microondas.

A vítima contou à polícia que um dos suspeitos assediou a mulher, pois teria tocado com a mão em suas partes íntimas. Os suspeitos permaneceram no interior da casa por aproximadamente 30 minutos e fugiram em um carro preto. “A polícia trabalha agora para identificar os outros dois suspeitos, para que possamos relatar o inquérito ao Ministério Público”, conclui o delegado Emmanoel David.

Comments

comments