O Paraná passa a contar com mais um reforço no combate a crimes econômicos e contra a administração pública. Nesta terça-feira (8), a governadora Cida Borghetti reuniu as forças de segurança pública do Estado e assinou o decreto que cria a Divisão de Combate à Corrupção.

Formada pelas polícias civil e militar – incluindo a polícia ambiental e rodoviária – pela Receita Estadual e Controladoria do Estado, a nova divisão passa a englobar o Núcleo de Repressão a Crimes Econômicos (Nurce) e coordenará as ações de combate a corrupção. A governadora explicou que a nova divisão terá atuação transversal, com ações de repreensão mais eficientes.

“Com um trabalho conjunto e articulado, vamos avançar no combate a toda espécie de desvios, ilícitos e irregulares, no âmbito da administração pública e privada”, afirmou Cida Borghetti. “O que antes era uma prioridade, agora vira política do Governo do Estado”, enfatizou.

Ela reforçou, também, que o trabalho da divisão estimulará a participação da sociedade e isso agilizará ainda mais o trabalho. “Com a união de todos, do Estado e da comunidade, vamos lutar contra os desvios e trazer mais segurança à população. Estamos todos do mesmo lado, queremos e podemos fazer um Paraná melhor, mais justo e igualitário em todas as áreas. Não aceitaremos desvios de conduta”, disse.

O decreto determina que a nova divisão terá total autonomia para investigar denúncias relacionadas a corrupção. “Inclusive em relação a minha pessoa”, afirmou a governadora.

OTIMIZAR – A Divisão de Combate à Corrupção será comandada pelo delegado Renato Figueroa, que até então estava à frente Nurce. Segundo ele, é positiva a expectativa em relação a essa nova unidade. “A ideia é agregar as informações recebidas por todos os órgãos envolvidos em um único canal, e, com isso, otimizar as investigações”, afirmou Figueroa.

A nova divisão terá equipe de policiais e delegados reforçada. “Vamos ampliar a equipe em Foz do Iguaçu, Londrina e Cascavel, além de destacar profissionais para realizar trabalhos específicos. Os órgãos envolvidos também disponibilizarão pessoal. O objetivo é dar capilaridade ao trabalho que será desenvolvido”, explicou o secretário de Estado de Segurança Pública, Júlio Reis.

A criação dessa divisão era um pleito antigo, disse o delegado-geral da Polícia Civil, Naylor Gustavo Robert de Lima. “Era um sonho da corporação e das entidades de classes. Tenho certeza que todos farão um ótimo trabalho”, disse ele.

A ação poderá receber ainda mais reforço no futuro, segundo a comandante da Polícia Militar do Paraná, coronel Audilene Dias Rocha. “Se for necessário, chamaremos outros órgãos estaduais ou federais para nos ajudar no trabalho, sempre visando identificar e levar à justiça os corruptos”, disse.

BALANÇO – Durante a reunião também foi divulgado o balanço do primeiro trimestre sobre os números de homicídios na capital. (link).

Comments

comments