Uma típica noite curitibana, com garoa fina e frio crescente recepcionou David Byrne na capital dos paranaenses.

Com o público chegando e o teatro ainda bastante vazio a cantora brasileira Karina Zeviani, adorada na Europa e nos EUA, e também com muita fama no Oriente Médio e no Japão começava a esquentar a plateia para o que ainda estava por vir. A ex-vocalista do Thievery Corporation apresentou um repertório do seu último disco e algumas pérolas de seus discos anteriores, fazendo com que a plateia, ainda tímida, remexesse nas poltronas.

Passavam alguns minutos das 21 horas quando David Byrne entrou no palco. Sozinho, sentado em uma cadeira, segurando um cérebro tal qual Hamlet de Shakespeare ele abre o show cantando “Here” com o tal cérebro de plástico em mãos, valendo-se da letra da música que fala de partes do músculo como se estivesse em uma aula da anatomia.

Byrne, um senhor de 65 anos, tom professoral, vestindo terno cinza e descalço. Aliás foi o uniforme da banda, todos de ternos cinzas e descalços, nenhum instrumento fixo. Todos os músicos carregavam seus instrumentos presos ao corpo, inclusive a bateria que cada peça era tocada por um integrante da banda. Isso deu liberdade a todos que circulavam pelo palco sem lugar fixo, fazendo coreografias e dançando sem parar e promovendo um entra-e-sai do palco que multiplicava as visões para quem assistia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O eterno vocalista do Talking Heads fez um show performático, todo coreografado e repleto de canções de sua ex-banda, das 15 músicas do show, 8 eram do Talking Heads e 7 do seu disco mais recente American Utopia (2018).

Acompanhado de 11 músicos que se alternavam em inúmeros instrumentos, inclusive berimbau e cuíca, a banda colocou a plateia para dançar, fazendo com que muitos saíssem de suas poltronas e fossem assistir o show na beira do palco, cantando e dançando em uma verdadeira celebração musical.

Na música Toe Jam, composta em parceria com Fatboy Slim para o projeto Brighton Port Authority, o brasileiro David Vieira, músico/percussionista da banda, fez um rap em português substituindo a versão originalmente canta em inglês.

Sorrindo e provavelmente com a sensação de ter feito mais um memorável show para os curitibanos (David Byrne esteve em Curitiba em 1990), David Byrne mostrou como fazer um show ir além do óbvio.

 

Set List:

Here

Lazy

I Zimbra

Slippery People

I Should Watch

Dogs Mind

Everybody

Naïve Melody

Once in a Lifetime

Right Thing

Toe Jam Mix

Born Under Punches

Dance Like This

Bullet

Everyday

Like Human Do

Blind

Burning Down the House

Dancing

The Great Curve

Hell You Talm About

Foto: Site Oficial/Divulgação.

Comments

comments