O prefeito Rafael Greca e a secretária municipal do Meio Ambiente, Marilza Dias, assinaram na última segunda-feira (26) o decreto de criação do Parque Paleontológico Formação Guabirotuba – Geossítio de Curitiba. A área de fósseis, descoberta por pesquisadores da Universidade Federal do Paraná (UFPR), fica na CIC, próxima ao Contorno Sul de Curitiba, à beira da rodovia BR-277. A criação foi testemunhada pela primeira-dama Margarita Sansone, por 240 alunos de escolas municipais e convidados.

Fonte: Prefeitura de Curitiba

“As crianças não avaliam o que estão assistindo agora: é o momento em que Curitiba descobre que no fundo da nossa terra está guardada a História antes da História”, disse o prefeito Rafael Greca. “É com alegria que criamos agora o Parque do Geossítio de Curitiba para que o Brasil e o mundo saibam que Curitiba ama e preserva a história que está nos fósseis, guardada nas entranhas da terra”, completou, ao assinar o documento.

A secretária Marilza Dias explicou que o decreto visa proteger a área do sítio arqueológico. “É uma iniciativa única no Brasil e é de extrema importância”, explicou. Marilza destacou a parceria com a Universidade Federal do Paraná. O diretor do Setor de Ciências Biológicas da universidade, Edvaldo da Silva Trindade, agradeceu a criação do parque. “Para nós é de extrema importância, só temos a agradecer ao município.”

O parque

Com a destinação da área, a expectativa é que sejam iniciados os trâmites para possibilitar a implantação do parque. Embora o local já permita visitação, a infraestrutura do centro de exposições, jardim educativo e apoio para os pesquisadores deve ser concluída até o final do ano que vem.

Área de Relevante Interesse Ecológico (Arie), o parque vai ocupar 160 mil metros quadrados e fica às margens da BR-277, próximo do Contorno Sul, na CIC. Nesta região está o último remanescente da chamada Formação Guabirotuba, onde foram encontrados fósseis de vertebrados e invertebrados que permitem o estudo da evolução da fauna da América do Sul. Entre os fósseis estão os ancestrais de tatus e preguiças.

Todas as descobertas foram explicadas para os estudantes em uma aula magna ministrada pelo professor Fernando Sedor, coordenador Cientifico do Museu de Ciências Naturais do Setor de Ciências Biológicas da UFPR. 

Presenças

Participaram a secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila; a presidente do Instituto Municipal de Turismo, Tatiana Turra; o presidente da Cohab, José Lupion Neto; o presidente da Curitiba S.A, Bruno Rocha; e a superintendente da Fundação Cultural de Curitiba, Ana Cristina de Castro. Representando a Câmara Municipal estavam os vereadores Thiago Ferro e Oscalino do Povo. Os administradores da Regional Matriz, Dirceu de Matos, e Tatuquara, Jadir Silva de Lima, também compareceram.

Os estudantes são das escolas municipais Omar Sabbag, Caic Bairro Novo, Albert Schweitzer, São Miguel e Caic Cândido Portinari. 

Foto: Foto: Luiz Costa/SMCS

Comments

comments