Para os mais antenados barra viciados em internet em meados de 2009 e 2010, deve conhecer a história do Slender Man, a lenda urbana que fez muito sucesso nos Estados Unidos e se espalhou pelo mundo. Um homem magro, muito alto, com grandes braços e sem rosto. Ná epoca, surgiram várias histórias sobre o personagem, muitas delas aterrorizantes. Sites, fotos, vídeos, jogos e fóruns foram criados e uma legião de fãs surgiu. 

Eis que em 2018, criaram seu filme, intitulado Slender Man: Pesadelo Sem Rosto. Era de se esperar que, devido a fama do personagem, seus fãs ficassem ansiosos pelo resultado. Mas, antes mesmo de estrear, as coisas já começaram mal, já que o trailer recebeu uma enxurrada de críticas e não foi bem recebido pelo público quando foi lançado. E se formos contar (e somar) os problemas que enfrentou em sua produção, com brigas entre produtores e distribuidora e possíveis cortes que recebeu, podemos dizer que Slender Man foi um filme que já deu errado antes mesmo de chegar nas telonas. Mas, vamos ao filme.

Infelizmente, para decepção de quem esperava grandes coisas, Slender Man não é um bom filme. Rende bons sustos aqui e ali, isso é verdade, mas não agrada. Ele até que começa bem, prende a atenção e promete ser um filmaço, mas depois, é ladeira abaixo. A trama acompanha 4 melhores amigas adolescentes que, certa noite, decidem invocar o Slender Man. Depois de assistirem um vídeo, coisas estranhas começam a acontecer e uma das meninas desaparece. O restante do filme acompanha as outras 3 tentando encontrar um jeito de ajudar a amiga desaparecida. O elenco até que agrada, começando pela Joey King, que já está se tornando estrela de filmes de terror (Invocação do Mal, 7 Desejos e agora, Slender Man). A "quase" brasileira Julia Goldani Telles, e fechando o quarteto, Annalise Basso e Jaz Sinclair. 

O filme não consegue se desenvolver bem e tem uma narrativa pobre. Não há qualquer construção dos personagens e sendo assim, não criamos qualquer afeição por eles. Todas as ações do filme são puro clichê. Sempre fui um defensor dos clichês, acredito que eles muitas vezes podem ser bons e necessários, mas só quando são bem usados. Neste caso, quase todas as ações são totalmente esperadas.

"Oh, meu Deus, tem alguém aqui dentro de casa, mas antes de chamar a polícia, ou pegar algo para me defender, vou lá sozinha ver quem é, e tudo isso de luz apagada, claro, até porque, quem é que liga a luz quando ouve um barulho estranho? Imagina, vai no escuro mesmo". 

"Vou entrar nessa floresta no meio da noite sim, super tranquilo, não vai acontecer nada".

Hoje nós esperamos muito mais do que essa inocência e/ou estupidez dos personagens para nos deixar tensos e assustados. Esse método já está ultrapassado. E uma das coisas que mais incomodou no filme foi a simplicidade. Sim, para um filme que, tudo bem, teve um orçamento pequeno, mas que se esperava muito por todo o contexto, foi tudo feito de uma maneira muito simplória, sem ousadia ou tentar algo novo. Repito e uso o mesmo que disse sobre os clichês, agora sobre fazer o simples: é bom quando bem feito. Para finalizar, o roteiro deixa pontas soltas, não desfecha alguns detalhes da trama e no final, você fica: "Quê? Sério?". Os efeitos não estão legais e a fotografia do filme, que tinha um GRANDE E ABSURDO potencial para ser o diferencial do filme, também não agrada. 

O monstro em si, podemos dizer que é "ok". Não é ruim, mas também não é excepcional. O irônico do filme é que o próprio Slender Man não é o problema. Sinceramente, quando soube que sairia este filme, realmente achei que seria um mega sucesso e que entraria facilmente no "hall da fama" do terror recente, como Invocação do Mal, Annabelle, Sobrenatural e o mais recente, It: A Coisa. Mas, para a decepção de muitos que aguardavam ansiosos, não foi desta vez.

Para quem acompanha minhas críticas, sabe que sempre gosto de ver o lado bom e o lado ruim de todas as produções, tentando sempre exaltar o lado positivo. Gosto sempre de deixar claro: vá ao cinema e tire suas próprias conclusões, independente do que eu ou qualquer um diga por aí. Mas infelizmente, Slender-Man: Pesadelo Sem Rosto é um filme ruim e totalmente esquecível. 

Trailer: 

Comments

comments