CRÍTICA | MULHER-MARAVILHA

Nos últimos 10 anos, o número de filmes sobre super-heróis subiu consideravelmente. Teve muitos outros antes disso, é claro, mas só desse pouco tempo para cá que as distribuidoras notaram o quão lucrativo é investir neste gênero. Muitos tentaram e deram certo, alguns fracassaram e outros ficaram no meio termo. O fato é que é muito difícil agradar à todos. Diria que quase impossível, na verdade. Sempre terá alguém para criticar e alguém para defender. É algo normal e da natureza humana, não tem como evitar. E quando se falam em "heróis", só conseguimos pensar (mesmo que existam outros) em apenas dois responsáveis por eles: Marvel e DC.

A Marvel "caiu nas graças" do público e da crítica. Mas não é por menos, sempre fez ótimos filmes (salvo algumas exceções) e revolucionou este meio, nos trazendo personagens novos e os já icônicos, com ótimos efeitos visuais e boas histórias. Já a DC, por outro lado, enfrentou o outro lado da moeda, com duras críticas aos seus recentes filmes. Salvo a exceção (mais uma vez) do ótimo "Batman: O Cavalheiro das Trevas" que foi quase unânime e recebeu até Oscar pela apresentação inigualável de Heath Leadger no papel do Coringa. Mas, de lá para cá, a DC não conseguiu se encontrar. E o pior, sempre teve boas cartas na manga. Muitos reclamam dos críticos e grandes portais de cinema por "pegarem no pé" dos filmes da DC, mas convenhamos: eles as mereceram. Mas parece que as coisas mudaram. O filme Mulher-Maravilha chegou e após assistirmos, podemos finalmente dizer: essa é a DC que a gente quer ver. Enfim os fãs terão um filme que merecem.

O filme não comete os mesmos erros de Esquadrão Suicida e Batman vs Superman, que trazem vilões sem sentidos e amizades forçadas. A diretora Patty Jenkins consegue construir uma trama muito bem explicativa, onde não há aquelas famosas pontas soltas, que ficam sem respostas após o término do filme. Conseguimos entender de maneira clara as motivações dos personagens e principalmente de Gal Gadot, que está espetacularmente maravilhosa neste filme, queimando a língua de muitos que criticaram a escolha dela para o papel. Ela consegue transmitir sua emoção e amor pela humanidade, mesmo não devendo nada a eles. Ela consegue passar fragilidade, inocência, agressividade e força bruta de uma maneira muito natural. 

Mulher-Maravilha é uma história de origem, onde podemos conhecer a pequena Diana e o seu crescimento, ensinamento e preparação até se tornar a super-heróina que é. Mas mesmo sendo uma história de origem, não deixa de fazer ligações com o universo de Liga da Justiça, que aliás, é o próximo filme da DC e veremos a personagem mais uma vez. Outro personagem importante para o filme é Chris Pine, que também tem ótima atuação. Ele tem grande destaque, mesmo sendo "frágil" perto da força de Diana, mas se mostra muito importante para a trama. Chris chama a atenção e em muitos momentos até puxa a responsabilidade para si. Mas, o filme é de Gal Gadot, é ela quem comanda tudo, do primeiro ao último minuto do filme. Quando aparece, todas as atenções são voltadas para ela. Sua atuação lembra muito a atuação a de Margot Robbie como Arlequina em Esquadrão Suicida (um dos poucos pontos positivos do filme), pois foi justamente assim. Quando ela aparecia, não tinha um ser vivo (seja dentro do filme ou fora dele) que não parasse tudo que estivesse fazendo para ouví-la. Mais uma vez, mostrando a força que as mulheres têm e podem ter ainda mais nos cinemas. Sobre os vilões, talvez até tenha uma falha ou outra em suas construções, mas o filme não é de um herói contra um vilão. O filme é sobre o nascimento, crescimento e amadurecimento de uma heroína. 

Depois de tantos erros, a DC mostra que está pronta para seguir em frente, em busca de dias melhores. E mostrou para todos os fãs, críticos e haters que pode sim fazer grandes filmes, que é o caso deste. E se a Marvel tinha "receio" de fazer um filme solo da Viúva-Negra, agora eles aprendem com a própria DC de que é possível fazer algo bem feito e de sucesso com uma super-heróina. Vamos ver como será com Capitã Marvel. 

No mais, o filme é excelente e posso me arriscar a dizer que está entre os melhores do gênero. Certamente no topo dos melhores da DC. E esperamos ansiosos e cheios de esperança por Liga da Justiça, onde a Warner/DC tem tudo para fazer outro grande filme. E é claro, aguardamos ansiosos a sequência de Wonder-Woman. Ou, como preferirem, Mulher-Maravilha. 

Minha nota de hoje: 9,0. 

P.S.: O filme NÃO tem cena pós-créditos, infelizmente. Pode ir embora tranquilo após o término do filme. 

TRAILER DO FILME: 

Comments

comments

1 comentário sobre este post

  1. Hayane​ Petrin

    Ansiosa pra assistir, afinal um grande lançamento nos deixando saciar dessa vez a vontade de assistir uma super-heroina!

    Responder

Deixe um comentário