CRÍTICA | JUMANJI: BEM-VINDO À SELVA

Algo que nos lembramos com saudades dos anos 80/90, são os filmes aventurescos. Era único, não ligávamos tanto para a qualidade dos efeitos especiais ou até mesmo para a trama confusa da maioria dos filmes, e mesmo assim nos divertíamos com facilidade. 


Mas agora, o ano é 2018, várias décadas depois e o cinema mudou. As pessoas mudaram. Milhões são investidos e o gosto do público refinou. Sem dúvida, se alguns dos sucessos dos anos 80 e 90 fossem lançados apenas hoje, a grande maioria não daria certo, infelizmente. 


Então, o desafio do diretor Jake Kasdan com Jumanji: Bem-vindo à Selva era gigantesco. Teria que repetir o sucesso do primeiro filme, mas para um público muito mais crítico e exigente que temos hoje em dia. E como fazer isso? Já que os filmes de aventura não são bem a moda do momento. Sem contar o medo dos fãs quando ouvem/leem a palavra "reboot" ou "sequência", já que a maioria dos que vemos por aí são ruins e acabam estragando as histórias que fizeram sucesso. Mas, podemos dizer que o novo Jumanji deixaria Robin Willians orgulhoso.


O filme é gostoso de se assistir, pois parece que voltamos no tempo e somos crianças de novo, assistindo sessão da tarde deitado no sofá em um dia de chuva, que é exatamente o que fizemos com a primeira versão de Jumanji, com o eterno Robin Willians. Na trama, quatro adolescentes totalmente distintos estão em detenção na escola e encontram um video game velho, que decidem testá-lo. Ao começar, acabam sendo teletransportados para dentro do jogo. Cada um recebe seu avatar e precisam realizar uma tarefa para poderem sair do game, e tudo isso, claro, no meio da selva, com vilões, animais e todas as adversidades possíveis. Cada um tem habilidades, pontos fracos e o mais interessante: apenas 3 vidas para serem usadas, e caso elas acabem ou não consigam cumprir suas tarefas, ficarão presos nos jogo para sempre.

Sobre ser reboot ou sequência, pode-se dizer que tem um pouco dos dois, pois vemos coisas que já conhecemos, com muitas coisas novas. Já o elenco, dispensa comentários e é o que ajuda a química do filme fluir: Os engraçadíssimos Jack Black e Kevin Hart, a talentosíssima Karen Gilian e o versátil e excelente Dwayne "The Rock" Johnson. Ainda com boa participação de Nick Jonas. Sem esquecer, é claro, do elenco adolescente que são os "humanos" por trás dos avatares do jogo. 

Sem mais delongas, o filme é muito divertido com piadas que funcionam, com boas cenas de ação, aventura, romance, personagens carismáticos e ótimos efeitos especiais, principalmente com os animais. Jumanji: Bem-Vindo à Selva é o filme de aventura e fantasia mais bem feito deste último ano e vale a pena conferir. Leve toda a família, pois do mais jovem ao mais velho, a diversão será garantida. 

TRAILER DO FILME:

Comments

comments

Deixe um comentário