CRÍTICA | HOMEM-ARANHA: DE VOLTA AO LAR

O amigo da vizinhança está de volta, pela terceira vez. E esperamos que agora seja definitivo, não é? Mas, ao que tudo indica, será sim. Porque o novo Peter Parker/Homem-Aranha veio para ficar. O título do filme "De Volta ao Lar" realmente faz sentido e se encaixa bem com o que vemos no filme. 

Na primeira versão do herói (muito elogiada e preferida por todos) de Tobey Maguire e Sam Raimi, vemos um homem-aranha muito semelhante aos quadrinhos clássicos, do qual muitos dizem que foi o melhor Peter Parker. Na segunda versão, estrelada por Andrew Garfield e dirigida por Marc Webb, vemos o Homem-Aranha se assemelhar com o Ultimate dos quadrinhos e desenhos animados, e que por muitos, foi o melhor Homem-Aranha. Mas ambos faltavam retratar um Peter como ele realmente é. Um rapaz com problemas, limitações, emoções. Ou seja, dramas reais de um ser-humano e não de um super-herói. E neste filme, eles acertaram em cheio.

Homem-Aranha: De Volta ao Lar não é uma história de origem do personagem. Isso nós já sabemos, já vimos duas vezes e não precisamos ver de novo como Peter é mordido por uma aranha, como aprende a usar seus poderes e começa a conhecer seu corpo. Um grande acerto da Marvel. Por falar em acerto, neste filme temos vários. Podemos começar falando do "vilão" Abutre, interpretado por Michael Keaton, que tem atuação deslumbrante. Uma das maiores reclamações dos fãs de super-heróis são as construções dos vilões em seus filmes, que geralmente acabam sendo uma das maiores críticas, justamente por não conseguirem nos entregar um vilão "completo", com todas as suas motivações esclarecidas. Com Keaton, é interessante notar que ele é muito mais "humano" do que "vilão". Não é aquela coisa boba de um cara simplesmente acordar um dia em sua cama e decidir que será do mal. É apenas um homem, pai de família, trabalhador, tentando ganhar a vida e disposto (agora sim entra a parte vilanesca) a acabar com qualquer um que tente impedí-lo. Pra finalizar a parte do vilões, cabe acrescentar que o Abutre não é o único que vemos no filme. Schoker, Escorpião e o Construtor, figuras bem conhecidas dos fãs do Spider, também estão presentes no filme, trabalhando em conjunto e crescendo devagar, mas no tempo certo do filme. Ainda podemos vê-los por aí, outra vez. 

Outro grande acerto do filme são os demais personagens. O personagem Ned (Jacob Batalon), que neste filme é o melhor amigo de Peter, é muito hilário e grande parte das cenas de humor do filme vem através dele. Nos quadrinhos, Ned aparece bem pouco, mas neste filme (e à partir de agora) tem e terá muita importância para a história. Talvez, seu papel tenha até mais importância do que teve Harry Osborn como melhor amigo do Peter, na primeira versão de Homem-Aranha, por exemplo. Outra personagem, Liz (Laura Harrier), a paixonite de Peter, também tem grande destaque e importância para o filme. Também temos Flash, que agora tem uma versão totalmente diferente do que conhecemos nas duas primeiras versões do herói. E fechando o grupo dos adolescentes, temos Michelle, interpretado por Zendaya, que tem um papel meio "estranho" no filme, mas que ao final, notaremos sua importância, principalmente para a sequência da história de Peter. Agora, entrando no time dos adultos ainda não citados, temos tia May, agora muito mais jovem na pele de Marisa Tomey. Jon Favreau, interpretando mais uma vez Happy Hogan e claro, ele, o nosso Homem de Ferro, Tony Stark de Robert Downey Jr. E sobre ele, reservei um parágrafo exclusivo. 

Quando vimos os trailers e pôsters do filme e notamos o "excesso de Homem de Ferro", foi normal acharmos que isso estragaria o filme. Vimos até memes e brincadeiras na internet dizendo que esse não seria o novo filme do Homem-Aranha, e sim o quarto filme do Homem de Ferro. Mas, ao assistir o filme, vemos que isso não estraga o filme e sim o melhora. Tony Stark aparece na medida certa e quando aparece, entendemos porquê ele está ali. Ele literalmente "apadrinhou" Peter e o guia pelos caminhos certos, como literalmente a figura de um pai. Não devemos esquecer que agora, Peter Parker tem apenas 15 anos, ainda é só um menino. A presença de Stark reflete principalmente no traje de Peter, que agora está muito mais sofisticado e moderno, levando os fãs dos quadrinhos à loucura.

Já experimentamos um pouco do traje em Guerra Civil, mas neste filme podemos ver o quão complexo é. Tem desde modo de combate, drone e até assistente pessoal. É praticamente um Aranha de Ferro, que por sinal, bom, essa parte vou deixar para você descobrir no filme. Mas para finalizar a parte do traje, talvez não agrade à todos. Quem acompanha apenas os filmes, está acostumado com um Homem-Aranha mais simples e limitado, e agora vê-lo com tanta tecnologia, pode estranhar um pouco. O fã terá que se adequar.

Fechando a crítica, não poderia deixar de falar do principal, Tom Holland. Holland foi um achado da Marvel/Sony, pois com 21 anos, consegue nos convencer como adolescente, com os problemas e complicações que a maioria tem, mas também consegue dar humor ao herói, uma característica clássica do personagem (que não foi tão bem retratada na primeira versão, mas na segunda sim). Ele consegue transmitir emoção e nos entrega um Peter Parker/Homem-Aranha com CORAÇÃO. Talvez, um dos poucos defeitos do filme, foi ter colocado um Homem-Aranha mais frágil. Ele não é tão forte quanto o herói de Tobey Maguire. Mas, esperamos que isso mude com o decorrer de sua história. 

Muitas pessoas podem não se dar conta, mas o Homem-Aranha é o personagem-símbolo da Marvel. Tudo bem, você pode ter o seu preferido. Pode gostar mais de Capitão América, ou do Homem de Ferro. Talvez mais do Hulk ou do Thor, mas o Homem-Aranha é o grande herói da Marvel. É o grande símbolo. É o Harry Potter da J.K. Rowling. É o Frodo do J.R.R. Tolkien. É o Mickey da Disney. E era preciso ter um Homem-Aranha consolidado. Torcemos para que não ocorra novos problemas entre as distribuidoras e que o herói consiga ter uma sequência. Os fãs agradecem. 

Homem-Aranha: De Volta ao Lar é um filme que vai agradar as novas gerações e principalmente àqueles que já acompanham o herói a um bom tempo. No mais, são duas horas de filme que você não quer que acabe, com DUAS cenas pós-créditos, algo que já virou tradição nos filmes da Marvel. 

NOTA: ★★★★

TRAILER DO FILME: 

Comments

comments

Deixe um comentário