A Graciosa

Um típico passeio entre os curitibanos em fins de semana de sol e temperatura amena é a descida ao litoral pela Estrada da Graciosa. O nome da PR 410 é justo para o trajeto que encanta milhares de turistas todos os anos e liga Curitiba a Antonina e Morretes.

A estrada centenária atravessa o trecho de Mata Atlântica mais preservada do país e foi declarada pela UNESCO, em 1993, como Reserva da Biosfera da Mata Atlântica. Além da mata que forma lindas paisagens para serem admiradas, o trajeto também passa por belos riachos que nascem na Serra do Mar paranaense.

As primeiras notícias sobre a então Trilha da Graciosa são do século XVIII. Seu trajeto ficou conhecido pelos tropeiros, comerciantes que levavam suprimentos do sudeste ao sul do país e vice versa, sendo responsáveis pela fundação de inúmeras cidades no Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Foram os traçados dessas trilhas feitas pelos comerciantes que em 1854, no ano da emancipação política do Paraná, a estrada de 28 quilômetros começou a ser construída. Porém, ela somente foi oficialmente inaugurada em 1973.

A Estrada da Graciosa permaneceu como a única pavimentada do estado até a metade do século XX, escoando a produção agrícola até os portos de Antonina e Paranaguá. Por ela, percorriam caminhões carregados de café, erva mate e madeira, além de famílias que desde aquela época e até hoje vão ao litoral atrás de diversão e lazer nas praias e ilhas do litoral do Paraná.

O passeio oferece recantos, mirantes, quiosques para venda de produtos típicos, sanitários e churrasqueiras. Alguns de seus pontos são bastante conhecidos, sendo os principais Engenheiro Lacerda, onde é observar a baía de Paranaguá; Rio Cascata; Grota Funda, um estreito fundo vale; Bela Vista, onde também pode-se avistar Paranaguá; Curva da Ferradura e Parque Mãe Catira.

Aqueles que desejam conhecer as belezas da Estrada da Graciosa precisam de disposição para sair cedo de casa. Apesar de estar a 37 quilômetros de Curitiba, o trajeto é sinuoso e pode ser perigoso em condições de chuva e neblina.

Além disso, a maioria das vagas de estacionamento e churrasqueiras já estão ocupadas antes das 9 horas da manhã nos fins de semana. Ao final da descida você ainda pode encontrar as nascentes que vão virar o rio Nhundiaquara, além de pousadas e restaurantes nas cidades históricas do litoral do Paraná.

Os passeios são geralmente mais bonitos durante o inverno, quando o tempo é mais firme e os dias limpos, o que dá mais visibilidade e vistas de pontos diferentes do litoral paranaense.

Um típico passeio entre os curitibanos em fins de semana de sol e temperatura amena é a descida ao litoral pela Estrada da Graciosa. O nome da PR 410 é justo para o trajeto que encanta milhares de turistas todos os anos e liga Curitiba a Antonina e Morretes.

A estrada centenária atravessa o trecho de Mata Atlântica mais preservada do país e foi declarada pela UNESCO, em 1993, como Reserva da Biosfera da Mata Atlântica. Além da mata que forma lindas paisagens para serem admiradas, o trajeto também passa por belos riachos que nascem na Serra do Mar paranaense.

As primeiras notícias sobre a então Trilha da Graciosa são do século XVIII. Seu trajeto ficou conhecido pelos tropeiros, comerciantes que levavam suprimentos do sudeste ao sul do país e vice versa, sendo responsáveis pela fundação de inúmeras cidades no Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Foram os traçados dessas trilhas feitas pelos comerciantes que em 1854, no ano da emancipação política do Paraná, a estrada de 28 quilômetros começou a ser construída. Porém, ela somente foi oficialmente inaugurada em 1973.

A Estrada da Graciosa permaneceu como a única pavimentada do estado até a metade do século XX, escoando a produção agrícola até os portos de Antonina e Paranaguá. Por ela, percorriam caminhões carregados de café, erva mate e madeira, além de famílias que desde aquela época e até hoje vão ao litoral atrás de diversão e lazer nas praias e ilhas do litoral do Paraná.

O passeio oferece recantos, mirantes, quiosques para venda de produtos típicos, sanitários e churrasqueiras. Alguns de seus pontos são bastante conhecidos, sendo os principais Engenheiro Lacerda, onde é observar a baía de Paranaguá; Rio Cascata; Grota Funda, um estreito fundo vale; Bela Vista, onde também pode-se avistar Paranaguá; Curva da Ferradura e Parque Mãe Catira.

Aqueles que desejam conhecer as belezas da Estrada da Graciosa precisam de disposição para sair cedo de casa. Apesar de estar a 37 quilômetros de Curitiba, o trajeto é sinuoso e pode ser perigoso em condições de chuva e neblina.

Além disso, a maioria das vagas de estacionamento e churrasqueiras já estão ocupadas antes das 9 horas da manhã nos fins de semana. Ao final da descida você ainda pode encontrar as nascentes que vão virar o rio Nhundiaquara, além de pousadas e restaurantes nas cidades históricas do litoral do Paraná.

Os passeios são geralmente mais bonitos durante o inverno, quando o tempo é mais firme e os dias limpos, o que dá mais visibilidade e vistas de pontos diferentes do litoral paranaense.

Comments

comments

Deixe um comentário